Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Cyrano Mon Amour


Estreia hoje nas salas de cinema do Brasil o filme Cyrano Mon Amour (Edmond). A obra dirigida por Alexis Michali mostra a história daquela que é considerada um clássico das artes, sendo interpretada mais de mil vezes no teatro. Diversos filmes já foram lançados sobre ela, inclusive um dos mais conhecidos é “Cyrano” lançado em 1990 dirigido por Jean-Paul Rappneau.

O longa é uma comédia dramática cujo tema foi originalmente concebido como peça teatral em Paris em 1897, muito desacreditada pelos apreciadores da época e com todas as possibilidades de ser um fracasso, pois o jovem escritor Edmond (Thomas Solivérès) não conseguia escrever, faltavam recursos financeiros para a montagem, os figurinos estavam decadentes. Mas, ao contrário do que era esperado, a peça não só foi um sucesso como também se tornou uma obra atemporal, prova disso é que um milênio depois, ainda nos surpreendemos com sua história.

Alexis Michalik já trabalhava na ideia de produzir esse trabalho há cerca de quinze anos, desde que assistiu ao vencedor do Oscar de Melhor Filme de 1999, “Shakespeare Apaixonado”. Porém, somente agora consegui lança-lo e valeu a pena esperar, pois o resultado é magnífico. Um mix de obra cinematográfica com um ar de montagem teatral presenteando o espectador com uma envolvente comédia.

Produções que retratam épocas mais antigas têm sempre uma intelectualidade a mais, o espectador tem que estar disposto a fazer uma imersão no contexto da época retratada, pois isso facilita o entendimento do que se vê em tela. Um detalhe curioso é que apesar do longa retratar a cidade de Paris, ele não foi filmado na cidade: a maioria das filmagens foram realizadas na cidade de Praga, pois a arquitetura é muito similar a de Paris do século XIX.

Os pontos mais interessantes a serem destacados, fora a própria história narrada, são os figurinos que remetem ao luxo parisiense do século XIX, os cabelos, a maquiagem impecável e diversos outros detalhes do tipo, que tornam a obra tão atraente. Como ponto negativo, é perceptível que o diretor optou por realizar algumas modificações, não seguindo totalmente a história original da obra literária – mas isso é compreensível, pois são épocas muito distantes e algumas alterações se fazem necessárias.

No contexto geral, “Cyrano Mon Amour” é um excelente filme, alia entretenimento com educação e história, tudo tratado com muita leveza e em um tom de comédia muito atraente, que faz o espectador rir logo nas primeiras cenas.

Vale muito a pena prestigiar.

por Leandro Conceição – especial para CFNotícias