Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Feito na América


Quem acompanha e gosta da carreira de Tom Cruise sabe que o que ele faz de melhor é pilotar aviões (até se pendurou em um!), usar um óculos escuros estilosos, convencer os outros com uma boa lábia e enganar os bandidos. Bom, o ator de “Missão Impossível” faz tudo isso e mais um pouco em “Feito na América”, seu mais novo filme. E que filme bom!

Baseado em fatos reais, o longa acompanha a impressionante trajetória de Barry Seal (Cruise), um piloto comercial que é recrutado pela CIA para tirar fotos aéreas de lugares suspeitos, que servem como base para os comunistas.

No meio disso, ele vê a oportunidade de ganhar mais dinheiro ao se juntar ao famoso cartel de drogas de Medellín, liderado por Jorge Ochoa (Alejandro Edda) e Pablo Escobar (Mauricio Mejia). A partir daí, Barry aumenta em cem vezes mais sua fortuna e passa a viver como um verdadeiro rei ao lado da família, em uma pequena cidade nos Estados Unidos. No entanto, mesmo com tudo ajeitado em sua rotina, as coisas podem se complicar com as autoridades norte-americanas.

De fato, o filme dirigido por Doug Liman (A Identidade Bourne) tem bastante pontos positivos e Cruise certamente é o maior deles. O ator, que se entrega de fato aos seus papeis, mais uma vez não tem vergonha na hora de expor as emoções de seu novo personagem. Para tirar a prova, basta ver sua a pose de metido na cena em que sai de uma sala cheia de policiais ao descobrir que não será preso pelo governo. Sem contar sua malandragem na hora de lidar com Ochoa e Escobar.

E tem mais, o roteiro é rebuscado e detalhista ao relatar os fatos, o que faz o espectador prender mais a atenção e ficar curioso com o que vai acontecer com o protagonista. Aqui, cada movimento dos personagens recebe uma explicação justa e coerente com a trama. Em contrapartida, o final é previsível mas isso não compromete a diversão.

“Feito na América” é um longa que entretém, muito por causa de suas conspirações e reviravoltas interessantes que ocorrem durante a história. Mas o principal motivo dessa obra ter esse grande destaque é Tom Cruise. Com 55 anos, ele ainda mostra que tá em forma ao permitir seus personagens fazerem aquilo que mais sabe: pilotar aviões, usar um óculos Ray Ban (Maverick que o diga), enrolar os outros, prender os bandidos e muito mais. Confira!

Por Pedro Tritto – Colunista CFNotícias

Tags: ,