Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Na Ponta


Pode não parecer, mas um esporte olímpico que exige muito da parte mental e física do atleta é a esgrima. Para quem já acompanhou a modalidade, percebe-se que é preciso técnica, agilidade, precisão nos golpes e velocidade, além de muita concentração. Pelo menos é isso o que mostra o filme “Na Ponta” (On The Edge), longa que faz parte do Festival de Cinema Russo de 2021 e é baseado na trajetória da equipe do país que disputou as Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

Na história, a experiente esgrimista Aleksandra Pokrovskaya (Svetlana Khodchenkova) se encontra num momento crucial da carreira, em que busca disputar os Jogos Olímpicos do Rio para conquistar sua primeira medalha de ouro.

Acontece que no meio disso aparece Kira Egorova (Stasya Miloslavskaya), uma lutadora jovem e talentosa que chega com a promessa de dominar as competições internacionais e como grande favorita ao ouro no Brasil.

Logo na primeira luta entre as duas, que é mostrada no início do longa, já nos deparamos com o tom do longa e o nível de rivalidade entre as personagens, afinal de contas, o combate é bem equilibrado e dramático.

A partir daí, o que se vê é uma disputa psicológica entre as competidoras ao longo da trama. E essa jornada é bem interessante, pois o foco é justamente o amadurecimento de uma relação que começa tensa mas que, aos poucos, se mostra mais respeitosa.

Destaque para as cenas de treinamentos da equipe russa, em que as atletas precisam achar um jeito de se respeitarem para conseguirem vencer. Além disso, os diálogos entre Pokrovskaya e seu técnico Gavrilov (Sergei Puskepalis), por exemplo, são fundamentais para compreensão da esgrima e das estratégias utilizadas pelas lutadoras, o que é bem relevante neste caso.

O ponto negativo fica por conta de alguns movimentos de luta retratados. Por mais que haja emoção na interpretação das atrizes ao mostrarem as manobras, alguns golpes parecem forçados. De qualquer forma, isso não é suficiente para tirar a seriedade da história e comprometer o divertimento.

Para quem gosta de filmes esportivos, “Na Ponta” é uma escolha interessante e válida, afinal de contas, tem uma boa história que envolve uma forte rivalidade e mostra o que muitas vezes não vemos durante a preparação de uma atleta competitiva.

Vale a pena conferir a produção que está disponível na programação do 2º Festival de Cinema Russo no Brasil. Para acessar a plataforma do festival, acesse os sites da Spcine: www.spcineplay.com.br e www.spcine.com.br. Você será direcionado para a plataforma de exibição, Supo Mungam Plus, onde basta fazer um breve cadastro e assistir aos filmes diretamente, de forma gratuita.

por Pedro Tritto – Colunista CFNotícias

*Título assistido via streaming a convite da Supo Mungam Plus.