Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: O Candidato


Manuel (Antonio de la Torre) é um político em ascensão. Ele subiu todas as escadas dentro do partido e está prestes a tomar a posição de presidente deste nas eleições internas. No entanto, tudo muda quando um de seus colegas dá com a língua nos dentes sobre os esquemas de corrupção, e outro o entrega para se salvar, e ele é jogado aos lobos e usado como bode expiatório para disfarçar uma limpeza do partido. Agora, fará de tudo para derrubar aqueles que o abandonaram.

Esta é a trama de “O Candidato” (El Reino), terceiro trabalho do diretor Rodrigo Sorogoyen. O longa (que está disponível na plataforma de streaming Cinema Virtual) é uma exposição da dimensão que a corrupção partidária pode chegar, e a obsessão daqueles envolvidos em se livrar, não importando quem seja sacrificado para esse objetivo.

Uma das primeiras coisas a se notar é o embasamento ao se tratar da corrupção, mostrando consistência com problemas que, para quem mora no Brasil, será fácil de perceber o quanto são críveis. O filme tem uma ligeira inspiração em processos reais do começo dos anos 2000 na região de Valencia – que nunca é falada como locação do filme, mas ainda assim fica claro pelos locais revelados.

Outra qualidade da produção é a trama que continuamente se escala. A tensão é constante, e é visível o quanto o personagem de Antonio de la Torre fica no limite para se livrar, um mérito tanto da direção, quanto da atuação.

No entanto, o filme parece convencional na estrutura de thriller, fora que ele não se aprofunda muito nos reflexos externos da corrupção, como o impacto no público, por exemplo. Outra coisa que é questionável é a trilha sonora – composta de electro -, que é interessante no começo, mas se torna repetitiva, e não ajuda em nada mais ao fim da exibição. A fotografia que não é nada extraordinária, sendo apenas convencional, poderia ter sido melhor explorada em algumas cenas.

Ainda assim, “O Candidato” é interessante pela exposição política, e apesar de não ter muita ação é um título com um ritmo bom e acelerado. Deve agradar facilmente os fãs de thriller e de obras com temática política forte.

por Ícaro Marques – especial para CFNotícias

*Título assistido via streaming, a convite da Elite Filmes.