Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: O Farol


“O Farol” (The Lighthouse), dirigido por Robert Eggers, se passa no início do século XX, quando o faroleiro Thomas Wake (Willem Dafoe) contrata um novo ajudante chamado Ephraim Winslow (Robert Pattinson) para lhe ajudar com as tarefas da ilha. O acesso ao farol é uma área restrita para o jovem, que se torna cada vez mais interessado em descobrir o que acontece naquele local. Sua curiosidade acaba tornando-se uma obsessão, até que fenômenos estranhos começam a acontecer.

O filme é constituído por uma narrativa que inevitavelmente cobrará do espectador uma imersão dentro da narrativa. Todo o enredo é composto por situações que podem variar entre a loucura e a realidade, o que acaba determinando toda a tensão apresentada no longa.

Outro fator importante, que ajuda a criar uma ambientação voltada para terror e o suspense, é a fotografia feita totalmente em preto e branco. A princípio, é fácil deduzir que essas cores remetem a algo antigo, entretanto, no decorrer da história percebemos que o P&B fixa nosso entendimento sobre a obscuridade representada no significado do farol e dos sentimentos dos personagens.

Além do uso de um tipo de fotografia específica, a produção também optou por ressaltar ruídos que ao serem inseridos no cotidiano, de fato, deixariam as pessoas perturbadas, como o som ensurdecedor do farol, o barulho das gaivotas e do mar batendo nas rochas. Os dois personagens vivem isolados em uma ilha, e dependem unicamente da companhia um do outro, portanto, ouvir todos os dias a mesma coisa é como parar no tempo.

Willem Dafoe possui uma extensa lista de personagens, e mais uma vez está brilhante, representando um papel que claramente exigiu muito de seu estado emocional e físico. Sobre a atuação de Robert Pattinson, particularmente achei ótima, e me surpreendi sobre como o ator se mostrou muito mais maduro diante das câmeras, deixando de lado, aquela velha imagem de mocinho que estamos acostumados a ver.

O filme tem previsão de estreia no Brasil em 02 de janeiro de 2020.

por Victória Profirio – especial para CFNotícias