Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: O Segredo da Floresta


“O Segredo da Floresta” (Behind the Trees) é o longa de estreia do diretor Vikram Jayakumar. A trama segue o casal Amy Edwards (Vanessa Curry) e Jay Nayar (Sahil Shroff) em uma viagem ao norte da Índia, mas logo o que seriam férias românticas se transformam ao presenciarem o exorcismo de uma garotinha, e a libertarem logo após. Porém mais do que apenas a criança se vê libertada.

Uma das primeiras coisas a se notar na produção é sua atmosfera. O filme usa em particular recursos dos títulos de suspense para criar tensão. No campo da fotografia, há o uso das cores acinzentadas e a escolha de tomadas, tornando algumas cenas ao mesmo tempo belas e assustadoras. A trilha é boa e tensa, o que serve bem à ambientação, no entanto, o uso da música apreensiva acaba transbordando para cenas nas quais a emoção em tela deveria refletir ternura e romance.

Outro elemento importante para a ambientação é o localidade estranha aos protagonistas, a qual eles não conhecem e ainda menos compreendem os costumes, ainda que um deles seja descendente de indianos. Um exemplo é o uso de máscaras atrás da cabeça para repelir ataques de tigres – algo realmente feito em regiões com ocorrências destes animais.

Algo muito elogiável é o uso dos jumpscares: normalmente filmes de terror usam e abusam destes, o que acaba por dissipar toda e qualquer tensão, porém “O Segredo da Floresta” o faz em doses moderadas e nos momentos certos. O único que talvez ficou fora do lugar, foi um “falso”, mas que pode ser justificado.

As atuações não são extraordinárias, porém Vanessa Curry faz um trabalho descente, e consegue interpretar bem o papel de alguém que está se encontrando em meio a suas dúvidas em relação ao futuro. Sahil Shroff, poderia ter uma atuação melhor, porém seu personagem não estava tão bem delineado quanto o da companheira de cena, e às vezes não se sabe se o problema é o personagem ou a atuação.

Sendo o primeiro longa de Vikram Jayakumar, “O Segredo da Floresta” não é ruim. O diretor mostra seu potencial, e vale a pena assistir para ver um filme de terror tenso. Para finalizar, vale dizer que o longa foi feito por um diretor e roteirista indiano, trazendo assim um resultado com estética e ideias diferentes dos terrores hollywoodianos comuns.

Este é um dos títulos da A2 Filmes que já podem ser conferidos na plataforma Cinema Virtual. Para mais informações, acesse: www.cinemavirtual.com.br.

por Ícaro Marques – especial para CFNotícias