Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Tudo e Todas As Coisas


Baseado no romance dramático de Nicola Yoon, “Tudo e Todas as Coisas” é mais um daqueles filmes que aproveita a onda do sucesso de “A Culpa é das Estrelas” e “Como Eu Era Antes de Você”. Definitivamente, o longa dirigido por Stella Meghie não tem a mesma carga dramática dos citados acima, mas consegue ter uma trama concisa que chega a ser tocante em alguns momentos.

Na história, Maddy (Amandla Stenberg) é uma menina que sofre de uma doença rara que não a permite sair de casa. Com um sistema imunológico bem fraco, ela só consegue usar roupas esterilizadas e não pode ter contato com muita gente. Por isso, as únicas pessoas que estão por perto são sua mãe, Pauline (Anika Noni Rose), e sua enfermeira, Carla (Ana de la Reguera).

As coisas começam a mudar para a jovem quando ela conhece, através de sua janela, Olly (Nick Robinson), o novo vizinho que acabara de se mudar com a família. Aos poucos, os dois passam a se comunicar por mensagens no celular e Maddy percebe que sua vida pode ser bem mais do que ficar trancada no quarto lendo livros.

Tudo na trama é colocado de forma leve e delicada e isso é ponto mais forte do filem, afinal de contas, permite trazer um ponto de vista mais otimista para o espectador. Mesmo vendo o drama da protagonista em ficar trancada num espaço pequeno e não poder chegar perto do garoto que ama, é gratificante perceber que ela encara essa situação com coragem e esperança.

Outro ponto positivo é o entrosamento do casal principal. Com carisma, os dois protagonizam bons momentos ao longo do filme. Destaque para a cena em que Olly vai pela primeira vez na casa de Maddy e, sem querer, acaba deixando sua pulseira no chão.

Em contrapartida, o final é um pouco confuso, pois as coisas são jogadas de maneira rápida e sucinta, o que deixa algumas questões importantes em aberto. No geral, “Tudo e Todas As Coisas” não é um filme que vai te fazer chorar milhões de lágrimas, mas vai dar um olhar otimista com uma história interessante e divertida.

Por Pedro Tritto – Colunista CFNotícias

Tags: ,