Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Uglydolls


Até onde você iria para conquistar a perfeição? Em Uglydolls, assuntos como diferenças físicas e a busca por alcançar uma aparência perfeita, ficam evidentes.

A animação, dirigida pelo experiente Kelly Asbury (Sherek 2 /Os Smurfs e a Vila perdida), narra a vida de um grupo de bonecos que vivem em Ugly Ville, um lugar repleto de cores, músicas e alegria. Porém, a sonhadora Moxy (Aline Wirley) – apesar de nunca ter visto – acredita que além da cidade em que vive há o “Mundo Real”, e neste mundo ela será amada por uma criança.

E é na busca por esse sonho, que Moxy convence Ugly Dog, Wage, Babo e Lucky Bat a embarcarem em uma aventura através de um cano escuro para encontrarem seu destino. Quando alcançam o fim do túnel, Moxy e seus amigos se veem em um local em que todos os bonecos são “modelos perfeitos”. É nesse ponto que o grupo de Ugly Ville descobrem a diferença entre eles e os demais, tomam consciência do “feio”.

Moxy e seu grupo decidem provar aos outros, que são dignos de serem aprovados, porém Lou (João Côrtes) – o líder dos bonecos perfeitos – dificultará o processo e fará tudo que estiver ao seu alcance para que eles percebam que por serem “feios” não deveriam ou mereciam estar ali.

O roteiro é simples, e por vezes previsível, o que é totalmente justificável, uma vez que o longa é voltado para crianças. As canções também mostram-se simples, porém envolventes.

De maneira lúdica e delicada são colocados em discussão assuntos do dia a dia das crianças e adultos e o roteiro apresenta cenas propondo soluções claras. Não há novidades nos detalhes técnicos da obra, visualmente falando, há uma lembrança de “Trolls” e “Os Smurfs“, o que não é de fato um defeito.

No áudio original os personagens são dublados por grandes nomes: Nick Jonas, Pitbull, Kelly Clarkson, Blake Shelton, Gabriel Iglesias e Janelle Monáe fazem parte do elenco principal. O cão Ugly Dog é cheio de estilo e a dublagem de Rincon Sapiência, traz toda disposição e desenvoltura ao personagem “fora da casinha”. Os trocadilhos também são o ponto forte do cãozinho de um olho só.

Vale lembrar que o filme é baseado na linha de brinquedos de pelúcia Uglydoll idealizada por Sun Min Kim e David Horvath em 2001, que tem o propósito de mostrar as diferenças que nos tornam únicos. Então, os bonequinhos já são conhecidos da garotada.

Mais do que um desenho infantil, Uglydolls é divertido, emocionante e, sem sombra de dúvidas, merece ser assistido por pessoas de qualquer idade.

por Carla Mendes – especial para CFNotícias