Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Umbrella


Depois de “O Menino e O Mundo”, que concorreu ao Oscar de Melhor Animação em 2016, o Brasil pode aparecer novamente na maior premiação do cinema, em 2021, com outro desenho animado. Trata-se do belíssimo curta-metragem “Umbrella” (“Guarda-Chuva”, em tradução livre).

Belíssimo porque a história, por mais que pareça sem sentido e bobinha, é bem emocionante e desperta no espectador um sentimento de empatia e esperança, coisas que precisamos (e muito!) nesse período de crise que vivemos.

Com duração de aproximadamente oito minutos, a trama gira em torno de um menino órfão, que se encanta com um guarda-chuva amarelo, pertencente a uma mulher que visita o orfanato em que ele vive. Sem ter uma razão aparente, o garoto vai percebendo que o objeto pode fazer muito mais coisa do que apenas o proteger dos temporais.

O mais tocante da história é que a trama é baseada em fatos reais. Sim, ela é inspirada em uma situação vivida pela irmã de Helena Hilário, diretora da produção ao lado de Mário Pece. Aliás, uma situação que causa bastante comoção.

Ela visitou um orfanato e recebeu o pedido de um interno para ter um guarda-chuva, pois seu pai usava um quando o deixou no local. Sem entender muito a causa desse desejo no começo, ela percebeu que, para esse interno, um guarda-chuva significa ter a esperança de ver o pai vindo lhe buscar novamente.

O curta, lançado em 07 de janeiro, chegou a ser selecionado para 19 festivais que qualificam para a disputa do Oscar 2021, na categoria de melhor curta-metragem animado. A premiação acontece em 25 de abril, a princípio. Entre os eventos em que ele entrou estão o Tribeca, Cinequest, Chicago International Film Festival, Calgary International Film Festival e Animayo.

Para saber mais sobre “Umbrella”, acesse a página oficial da produção no facebook, (facebook.com/umbrellaanimatedshort/).  Ela também está disponível no Youtube até o dia 21 de janeiro, no canal Stratostorm. Desde já, desejamos boa sorte e que venha a primeira estatueta para o Brasil!

por Pedro Tritto – Colunista CFnotícias