Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: WandaVision (Primeira Temporada)


Entre tudo o que já foi feito no MCU (Marvel Cinematic Universe) até o momento, a série “WandaVision” certamente é uma das coisas que mais despertou na cabeça do fã a criação de inúmeras teorias. Isso porque, sabendo os destinos dos personagens de Elizabeth Olsen e Paul Bettany  após “Guerra Infinita” e “Ultimato”, não estava claro como esse novo capítulo da dupla se encaixaria na Fase 4 da Casa das Ideias no cinema.

Afinal, o Visão morreu mesmo? Ele ressuscitou? Onde está Wanda depois de derrotar Thanos? O que ela tem feito para superar a morte do amado? Essas eram algumas das perguntas que martelavam na mente das pessoas. A boa notícia é que agora essas questões estão respondidas. Que bom! Calma que não revelarei as respostas aqui. Você terá que descobrir por conta própria.

Mas se você é daquelas pessoas que ouviu todas as teorias possíveis, cuidado para não cair em fake news, ok? O que posso dizer é que o resultado final é positivo, por mais que possa haver frustrações em um ponto ou outro, como o desfecho, por exemplo. Não entrarei em detalhes, mas afirmo que, mesmo não sendo tão explosivo e revelador, ele é coerente para a sequência da jornada da Feiticeira Escarlate.

O que se destaca na atração do Disney Plus é a maneira como tudo é revelado ao longo dos seus nove episódios. Nada é contado de forma atropelada e os mistérios vão desaparecendo aos poucos, o que é ótimo, pois prende a atenção do espectador até o fim. E mais, há grandes surpresas reservadas durante a narrativa para os “Marvetes” de plantão. Confesso que uma delas até colocou meu queixo no chão. Prepare-se que vai te arrepiar!

Falando especificamente da trama, é correto afirmar que o começo é um pouco chato, pois as coisas não parecem fazer muito sentido, afinal de contas, vemos Wanda e Visão embutidos numa série de TV dos anos de 1950, iniciando uma vida de casal numa pequena cidade dos Estados Unidos, cercados de piadas que hoje em dia não têm tanta graça.

As coisas começam a entrar nos eixos no terceiro episódio (o primeiro colorido), em que a vizinha da protagonista, Geraldine (Teyonah Parris), cita o nome de Pietro (Aaron Taylor-Johnson), irmão gêmeo de Wanda, morto em “Vingadores: Era de Ultron”. Depois disso, a história engrena de vez e passamos a entender melhor o que está acontecendo em torno deste universo.

Para quem acompanha os filmes da Marvel desde o início, “WandaVision” é um capítulo fundamental para o universo criado lá em 2008, com o filme “Homem de Ferro”. Mesmo não sendo bombástica, a série é pontual ao esclarecer as dúvidas necessárias e indica que a jornada da protagonista, que tem presença garantida no próximo filme do Dr. Estranho, pode ser ainda mais interessante daqui para frente.

por Pedro Tritto – Colunista CFNotícias