Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Crítica: Yesterday


Para o beatlemaníaco, a música “Yesterday”, imortalizada na voz de Paul McCartney é um hino, ou seja, algo sagrado e inesquecível. Agora, o filme que leva o nome da canção, dirigido por Danny Boyle (Quem Quer ser um Milionário) pode ser chamado também de hino? Infelizmente nem tanto.

O longa, que é estrelado por Himesh Patel e Lily James (Cinderela), até tem momentos divertidos e cativantes, mas não por causa da sua história e, sim, por causa da presença de clássicos do quarteto de Liverpool, como “I Want to Hold Your Hand”, “The Long and Widing Road”, “Here Comes The Sun”, entre outros. No entanto, isso não é suficiente para deixar o longa grandioso.

A trama, inclusive, não deixa claro algumas questões, o que é ruim pois faz com que o espectador fique confuso em partes importantes, principalmente em sua reta final. Sem contar que o desfecho deixa em aberto algumas questões que deveriam ser esclarecidas ao longo da história.

Tudo inicia com Jack Malik (Patel), um jovem músico inglês que tenta emplacar suas composições tocando em pequenos festivais e em pubs (barzinhos). Em uma noite, quando sai para pedalar, ele acaba sendo atropelado por um ônibus bem no momento em que ocorre um apagão no mundo inteiro.

Ao acordar, ele começa a perceber que ninguém conhece as músicas dos Beatles. Perplexo com a situação e com o sucesso das tais canções, o violonista, ao lado de sua empresária Ellie (James), começam a gravar os hits gravados originalmente por John, Paul, George e Ringo.

O fato é que isso chama a atenção de Ed Sheeran (sim, o músico!), que convoca a nova estrela para abrir um de seus shows. Este é o primeiro passo para Jack cair no gosto popular e chamar a atenção de Debra Hammer (Kate McKinnon), uma empresária influente e ambiciosa que decide trabalhar com o mais novo fenômeno da música pop.

Entre os pontos positivos, destacam-se os grandes hits dos Beatles, a participação de McKinnon, que, com um humor ácido e afiado, desperta risos no espectador, as referências aos clássicos “When I’m 64” e “With a Little Help From My Friends” em alguns diálogos e uma surpresa que acontece no meio do filme reservada propriamente para os fãs de Lennon e companhia.

Para quem espera que “Yesterday” seja uma obra inesquecível como a música homônima ou até mesmo os filmes “Mamma Mia” e “Bohemian Rhapsody”, vai se decepcionar. Apesar de cativante e alegre em algumas partes, o longa escorrega em momentos decisivos, sem contar que está longe de ser um material de referência para quem curte os Beatles, algo que os longas citados acima podem ser para os fãs de Abba e Queen. Uma pena!

por Pedro Tritto – Colunista CFNotícias