Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Entrevista: Fomos ao lançamento do livro “VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue”


Na noite desta quarta-feira, 27 de novembro, tive oportunidade de participar do lançamento do livro “VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue” do autor Cesar Bravo, pela editora DarkSide Books.

Talvez um dos elementos mais interessantes do evento tenha sido sua localização: a trama se passa em uma videolocadora, e como não poderia deixar de ser, o lançamento também foi realizado em uma, a Vídeo Connection. Localizada no Edifício Copan, a locadora é uma das sobreviventes à era do streaming, que mantém acesa a chama da tradição do aluguel de vídeos tanto em vhs, como em dvd e Blu Ray. Por sua vez, o destaque não é só o local, mas também a decoração, sendo que cartazes dos vhs fictícios citados no livro estavam distribuídos pelo local, todos inspirados em filmes antigos de terror, seguindo à risca a moda da década de 1980.

Mas nada foi mais importante do que conhecer o autor Cesar Bravo, que já tem uma boa carreira com livros e contos publicados de forma independente – “VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue” é seu segundo livro pela editora DarkSide – precedido por “Ultra Carnem”. Muito simpático e solícito, além de conceder autógrafos, também aceitou fazer mini-entrevistas, então pude perguntar sobre o livro, sua carreira e inspirações.

Ao me explicar o início de sua carreira criativa, o escritor contou ter começado na área da música, como guitarrista e compositor, e que seus primeiros ímpetos literários surgiram no início da vida adulta, porém realmente explorados apenas quando estava por volta dos 30 anos. Nesse momento Bravo estava satisfeito com a própria vida e queria uma maneira de se expressar.

Ao mesmo tempo, também ressurgiu a influência do horror em seus escritos, proveniente do interesse em filmes de horror ou violentos desde sua infância. Cesar citou como se fascinava com filmes como “Stallone: Cobra” e “A Hora do Pesadelo”, ainda que não os compreendesse ora por medo, ora pela imaturidade de sua pouca idade. Ele também explicou que sua aproximação do terror é decorrente do próprio gênero ser vasto nos possíveis tópicos a explorar, indo além do que vários outros.

A escolha do período do livro não foi tanto pela influência externa da atual moda de revival dos anos 1980, mas sim de um resultado do processo autoral: conforme o desenvolvimento dos contos que viriam a compor os capítulos do livro, Cesar percebeu como as histórias se encaixavam à época e decidiu por centralizar neste momento o resto da trama. Além disso, realizou o desejo de escrever sobre o período, para trazer aos dias de hoje a experiência do horror na época do vhs, citando como este gênero nos anos 1980 tinham certa exuberância, coragem e estilo que se perderam com o tempo.

Por fim, também contou quais seus autores e filmes de horror favoritos. No campo da literatura, citou os autores Edgar Allan Poe, H. P. Lovecraft, Stephen King e Clive Barker, sendo para ele mecanismos de consulta, e grandes inspirações, particularmente a vida de Stephen King.

Quanto aos filmes, quase tudo feito entre 1985 e 1995 são de seu gosto, porém especificou alguns títulos: “Hellraiser”, “A Hora do Pesadelo”, “Cemitério Maldito” e até mesmo “Maximun Overdrive”. Bravo também reforçou como John Carpenter, Tobey Hooper, e outros diretores do período foram influenciadores, por sua ousadia e a riqueza de sua obra, tanto para si mesmo, quanto para o cinema de horror.

“VHS: Verdadeiras Histórias de Sangue” está disponível para pré-venda no site da editora DarkSide Books, com lançamento ao público marcado para o dia 03 de dezembro.

Crédito das fotos: Ícaro Marques.

por Ícaro Marques – especial para CFNotícias