Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Escape Club apresenta: “Sherlock Holmes: Investigação Misteriosa”


“Quando você elimina o impossível, o que sobre por mais improvável que pareça, só pode ser a verdade”. A frase de Sir Arthur Conan Doyle criador do personagem e  mais famoso detetive particular de todos os tempos, Sherlock Holmes, reflete a aura de mistério que os jogadores de escape games encontrarão na enigmática sala “Sherlock Holmes: Investigação Misteriosa” do Escape Club.

O site A Toupeira achou que minha presença poderia ser útil neste mundo de mistérios e fui chamado mais uma vez para uma missão terrivelmente complicada, pois Holmes foi preso acusado de assassinato e a equipe Escapers Divertidos precisou usar de astúcia para tentar localizar provas que inocentem o maior detetive de todos os tempos. Foram momentos de muita tensão e emoção e conseguimos sair em 51 minutos e 15 segundos.

A sala é magnífica, cada detalhe foi cuidadosamente recriado para que o jogador se sinta de fato no apartamento de Sherlock Holmes de uma Londres vitoriana na Baker´s Street, 221B. Cadeiras, mesas, cortinas, ou seja, não há uma peça fora do lugar e esse clima de século XIX é que fornece a imersão total no jogo.

Claro que os enigmas foram criados para que nosso cérebro trabalhe até o extremo para desvendar charadas e enigmas muito bem produzidos pela equipe do Escape Club. Uma pista leva à outra e a observação nos detalhes é que pode ser a chave final para a vitória neste jogo de vida ou morte.

Fomos muito bem recebidos, como sempre, pelo Leonardo que nos acompanhou nessa aventura incrível. Contamos também com a presença do Sérgio que torceu muito e se pudesse estaria junto na sala jogando conosco, mas infelizmente como um dos idealizadores do jogo, não era possível.

E agora? Você e sua equipe terão coragem para enfrentar este desafio? Apenas coragem não será suficiente, afinal, muita garra, raciocínio e intuição são parte integrante dos caminhos que deverão percorrer até conquistar a vitória final, ou sofrer com a morte súbita.

por Clóvis Furlanetto – Escaper Editor

Tags: