Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

Fomos conhecer o Projeto “Caixa de Pandora”


Chegou à cidade de São Paulo, e em várias outras cidades espalhadas pelo país, o projeto promissor fruto da parceria da Pandora Filmes e da rede de cinemas Cinépolis, o “Caixa de Pandora”.

No evento de lançamento, depois de um café da manhã, pudemos conhecer a nova sala da Cinépolis no shopping JK Iguatemi, onde recebemos um belo kit e durante o qual o presidente da Cinépolis, Luiz Gonzaga de Luca, e os sócios da Pandora Filmes, André Sturm e Paula Consenza, explicaram o projeto aos jornalistas presentes.

Criado com a intenção de fortalecer a exibição de filmes independentes o Projeto “Caixa de Pandora” exibirá em 25 salas distribuídas por 16 estados, a cada quinze dias, uma programação culturalmente diversificada. A curadoria da Pandora Filmes, já há 30 anos no mercado, tem como objetivo promover e fomentar o cinema independente para além das grandes capitais.

André Sturm disse ter comemorado a parceria com a Cinépolis, empresa que entendeu a importância da oferta diversificada de filmes para o grande público. Tanto Sturm quanto Luiz Gonzaga ressaltaram o declínio dos cineclubes e o oferecimento de apenas alguns tipos de longas pelos cinemas e falaram da vontade de desenvolver um projeto quase que de resgate ao trabalho cineclubista.

A proposta, segundo eles, não é de competir com outros cinemas, mas sim de complementar o oferecimento de títulos em regiões onde esse tipo de exibição é escasso ou inexistente. No caso de São Paulo, que já conta com cinemas como Reserva Cultural e o Caixa Belas Artes, a intenção é oferecer produções independentes e premiadas, associadas a uma sala de alta tecnologia e cheia de comodidades em um dos melhores shoppings da cidade.

Segundo Paula Cosenza, a Pandora Filmes sempre buscou ampliar os horizontes da distribuição de longas independentes no Brasil e este projeto com a Cinépolis é a síntese dessa missão, um grande estímulo à diversidade cultural. A primeira seleção demostra isso, com obras importantes e premiadas, inéditas ao público brasileiro, mas de caráter não muito ousado. A lista, que intenta trabalhar com a formação de público, tem o cuidado de não separar, por exemplo, filmes brasileiros como um gênero em si, privilegiando a qualidade e abraçando diversas nacionalidades.

O primeiro longa a ser exibido, dia 04 de abril é o francês “Quando Margot Encontra Margot”, de Sophie Filières; dia 18 do mesmo mês, “O Mau Exemplo de Cameron Post”, vencedor do Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance, exibido aos jornalistas no evento de lançamento e cuja crítica você confere aqui no site na data de estreia.

Em 05 de maio, será exibido “A Sombra do Pai”, dirigido por Gabriela Amaral Almeida; e no dia 16 de maio, “Compre-me um Revolver”, filme mexicano de Julio Hernández Cordón, exibido no último Festival de Cannes.

Segundo a equipe a intenção do projeto é implementar, futuramente, sessões diárias e aumentar ainda mais o oferecimento dos filmes. Como fãs da sétima arte, em sua grande variedade, torcemos para o projeto dar certo.

Crédito das imagens: Carina Ortega.

por Isabella Mendes – especial para CFNotícias