Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

‘Pina’, de Wim Wenders, é a estreia da semana no Canal Curta!


curta002No dia que completa seis de anos de sua morte, a coreógrafa Pina Bausch ganha uma homenagem no Curta!: dia 30 de junho, estreia “Pina”, do diretor Wim Wenders. O filme, que começou a ser produzido enquanto a artista ainda estava viva, conta como ela reuniu profissionais de diferentes nacionalidades, como a brasileira Regina Advento, na Companhia Tanztheater Wuppertal da qual foi diretora. Candidato ao Oscar 2012 como melhor documentário, o longa é repleto de cenas com coreografias e se concentra muito mais na carreira da artista do que em sua biografia.

No dia 29, a Segunda da Música está repleta de atrações. “Filhos de João, o Admirável Mundo Novo Baiano” volta às décadas de 60 e 70 e narra uma das fases mais produtivas da música brasileira, por meio da história do grupo “Novos Baianos”. Com direção de Henrique Dantas, o longa-metragem mostra a influência de João Gilberto para aqueles jovens de estilo de vida comunitário, além de abordar temas importantes da cultura contemporânea como o tropicalismo, a ditadura, a contracultura, o Carnaval e o cinema. No mesmo dia, o documentário “Nina Simone” retrata a vida da estrela do jazz, que também foi pianista, cantora, compositora e ativista do movimento negro americano ao lado de Malcolm X e Martin Luther King Jr.

Francis Bacon é o artista plástico da vez na série “Paletas”, na Terça das Artes, dia 30. Esta semana, a faixa apresenta o legado do pintor modernista irlandês, que ficou conhecido por trabalhar com imagens distorcidas e temas densos, como a pedofilia, o masoquismo, a violência e transgressões ligadas ao sexo e à religião.

Na Quarta de Cinema, 1º de julho, a série “Filmes que marcaram época” destaca “Coração Selvagem”, vencedor da Palma de Ouro em Cannes, em 1990. O episódio traça um perfil do diretor David Lynch e relata o cenário político da época das filmagens, com marcos como o Massacre da Praça da Paz Celestial e a queda do Muro de Berlim. Na sequencia, “Vida”, de Paula Gaitan, traz uma cinebiografia da atriz Maria Gladys que evidencia um retrato de sua energia e uma reflexão sobre o ofício da interpretação. “Cine Mambembe, o Cinema descobre o Brasil” fecha a lista de destaques do dia e acompanha o casal de cineastas Laís Bondanzky e Luis Bolognesi, que cruzaram o Brasil, apresentando para moradores de cidades interioranas curtas-metragens brasileiros, em praças públicas. Em uma saveiro, eles carregaram um projetor 16mm, uma tela de 1,80mX 2,20m, equipamento de som e um gerador e deram a oportunidade para que muitas pessoas descobrissem o que é cinema.

O A Vida É Curta! desta semana conta com a uma estreia muito especial. É “Marly Normal”, a história de uma simples escriturária de São Paulo. A produção de 1981 tem direção dos hoje reconhecidos cineastas Fernando Meirelles e Marcelo Machado, que na época eram jovens realizadores. O curta é baseado em um poema de Fernando Pessoa e foi vencedor do 1º Festival VideoBrasil. A fotografia é de Paulo Morelli.

O Curta exibe no dia 2 de julho, na Quinta do Pensamento, “O Engenho de Zé Lins”, biografia do escritor paraibano José Lins do Rego. O filme remonta aos tempos de sua infância ao retratar o ambiente que serviu como inspiração para romances como “Menino de Engenho” e vai até sua fase adulta, descrevendo-o como um homem solidário, amigo fiel e amante apaixonado.

SEGUNDA DA MÚSICA

“Filhos de João – Admirável Mundo Novo Baiano” (documentário)

Um panorama da música popular brasileira dos anos 60 e 70 através do grupo musical “Novos Baianos”. Uma retrospectiva do estilo de vida comunitário adotado por seus integrantes e a influência sofrida pelo grupo do cantor João Gilberto.

Diretor: Henrique Dantas

Duração: 76 min. Ano: 2008

Exibição: Dia 29 de junho, segunda-feira, às 21h40m

Horários alternativos: Dia 30 de junho, terça-feira, às 1h40m e às 15h40m / Dia 1º de julho, quarta-feira, às 9h40m / Dia 4 de julho, sábado, às 9h30m

Classificação: Livre

“Nina Simone” (documentário)

Com muita música, esse documentário reconta a vida de Nina Simone, estrela do jazz e voz do movimento negro americano ao lado de Malcolm X e Martin Luther King Jr.

Diretor: Frank Lords

Duração: 52 min. Ano: 1992

Exibição: Dia 29 de junho, segunda-feira, às 23h

Horários alternativos: Dia 30 de junho, terça-feira, às 3h e às 17h / Dia 1º de julho, quarta-feira, às 11h / Dia 4 de julho, sábado, às 5h

Classificação: Livre

TERÇA DAS ARTES

Curta! Relâmpago “O Canto da Lona” (documentário)

“Então nós chamamos o circo o nosso mundo, é o nosso mundinho. Pra fora da cerca é o mundo que é o mundo. Pra dentro da cerca é o nosso mundo.”

Diretor: Thiago Mendonça

Duração: 25 min. Ano: 2013

Exibição: Dia 30 de junho, terça-feira, às 20h30m

Horários alternativos: Dia 1º de julho, quarta-feira, à 0h30m e às 14h30m / Dia 2 de julho, quinta-feira, às 8h30 / Dia 4 de julho, sábado, às 15h

Classificação: Livre

“Paletas: Bacon” (documentário)

Nesse episódio, a obra de Francis Bacon

Diretor: Alain Jaubert

Duração: 30 min. Ano: 2003

Estreia: 30 de junho, terça-feira, às 21h30m

Horários alternativos: Dia 1° de julho, quarta-feira, às 1h30min e às 15h30min / Dia 2 de julho, quinta-feira, às 9h30min / Dia 5 de julho, domingo, às 19h

Classificação: Livre

“Pina” (documentário)

O documentário de Wim Wenders, indicado ao Oscar de Melhor Documentário em 2012, além de apresentar um olhar sobre o movimento corporal e a arte da dança, presta uma homenagem póstuma à coreógrafa e amiga de longa data do cineasta, Pina Bausch. No início dos anos 1970, Pina assumiu a direção da Tanztheater Wuppertal, companhia de dança que hoje leva seu nome. Aos 68 anos, a coreógrafa alemã faleceu em junho de 2009, pouco depois do início das gravações do documentário. Tendo filmado apenas quatro trabalhos para o longa – Le Sacre du Printemps, de 1975, Kontakthof, de 1978, Café Muller, de 1978, e Vollmond, de 2006 -, Wenders resolveu seguir com o projeto após a morte de Pina, intercalando cenas dos espetáculos com entrevistas e depoimentos dos bailarinos da companhia.

Diretor: Wim Wenders

Duração: 106 min. Ano: 2011

Estreia: 30 de junho, terça-feira, às 22h30m

Horários alternativos: Dia 1º de julho, quarta-feira, às 2h30m e às 16h30m / Dia 2 de julho, quinta-feira, às 10h30m / Dia 4 de julho, sábado, às 22h

Classificação: Livre

QUARTA DE CINEMA

A VIDA É CURTA! “Marly Normal” (estreia), “Interlúdio”, “Humor Amargo”, “O gato de Asas” e “O Tigre e a Gazela”

Na primeira semana de julho, o canal traz uma série de produções de grandes cineastas em filmes com artifícios de linguagem. Abrindo o “A Vida é Curta”, às 20h, o vencedor do primeiro prêmio do 1º Festival VideoBrasil, “Marly Normal”, de Fernando Meirelles e Marcelo Machado, será exibido. O filme conta a história de uma escriturária de São Paulo. Na sequência, “Interlúdio”, de Carlos Gerbase e Giba Assis Brasil, mostra a vida amorosa de um frequentador de mercado com a caixa. Em seguida, “Humor Amargo” apresenta Paulo José e Hugo Carvana em esquetes sobre as dores e as delícias de viver no Brasil dos anos 1970. Já “O Gato Sem Asas”, de Pedro dos Anjos, faz um recorte da relação entre o patrão e sua empregada doméstica.  Para finalizar, “O Tigre e a Gazela”, de Aloysio Raulino, encerra o programa com um filme sobre as pessoas das ruas de São Paulo.

Estreia: 1º de julho, quarta-feira, às 20h

Horários alternativos: Dia 2 de julho, quinta-feira, à 0h / Dia 3 de julho, sexta-feira, às 8h / Dia 4 de julho, sábado, às 6h

“Filmes que Marcaram Época – Coração Selvagem” (Filmes que Marcaram Época)

“Coração Selvagem”, de David Lynch, é lançado em 1990. Dois inocentes compartilham uma apaixonada aventura romântica e sexual, enquanto atravessam um mundo louco. É um “Romeu e Julieta” recontado como um road movie rock´n roll. Ganhou a Palma de Ouro em Cannes, em 1990. A filmagem começa logo depois do Massacre na Praça da Paz Celestial, que abriu as portas para o capitalismo desenfreado na China. Durante a montagem, o Muro de Berlim cai, provocando a queda do Império Soviético. Depois disso, o mundo está em polvorosa: da explosão da Iugoslávia às incendiárias manifestações em Los Angeles. David Lynch escolheu filmar um mundo iluminado pelo fogo e pelo sangue. Lynch, designer de móveis, fotógrafo, músico, autor de músicas e vídeos de músicas, e diretor, é uma das principais figuras da vanguarda americana.

Diretor: Auberi Edler

Duração: 52min Ano: 2013

Exibição: Dia 1º de julho, quarta-feira, às 21h

Horários alternativos: Dia 2 de julho, quinta-feira, à 1h e às 15h / Dia 3 de julho, sexta-feira, às 9h / Dia 4 de julho, sábado, às 11h

Classificação: 10 anos

“Vida”

Cinebiografia da atriz brasileira Maria Gladys. Uma reflexão sobre o ofício da interpretação e a possibilidade de se doar com paixão e criatividade.

Diretor: Paula Gaitán

Duração: 65 min. Ano: 2008

Exibição: Dia 1º de julho, quarta-feira, às 22h

Horários alternativos: Dia 2 de julho, quinta-feira, às 2h e às 16h / Dia 3 de julho, sexta-feira, às 10h

Classificação: Livre

“Cine Mambembe, o Cinema Descobre o Brasil” (documentário)

De janeiro a agosto de 1997, o casal de cineastas Laís Bodanzky e Luiz Bolognesi realizou uma viagem exibindo curtas-metragens brasileiros em praças públicas pelo interior do Brasil. Foram quase 15.000 quilômetros numa viagem que começou em São Paulo, passou pelo sul da Bahia, Chapada Diamantina, rio São Francisco, sertão de Alagoas, Pernambuco, Piauí, Maranhão, Tocantins e terminou na Amazônia, com uma sessão no assentamento do MST da Fazenda Macaxeira, onde houve o massacre da curva do S. A viagem foi em uma Saveiro que levava um projetor 16mm, uma tela de 1,80mX2,20m, equipamento de som e um gerador. O Cine Mambembe passou por muitas comunidades que não tinham luz elétrica, inclusive algumas aldeias indígenas, como a dos pataxós na Bahia e dos kraó, em Tocantins. A maioria das pessoas assistiu ao cinema pela primeira vez. Muitas delas reviram o cinema após quase 30 anos, porque em diversas cidades o cinema fechou no começo da década de 70. Com uma câmera de vídeo digital, eles documentaram a viagem. O documentário “Cine Mambembe, O Cinema Descobre o Brasil” revela um país surpreendente, articulado, capaz de refletir sobre o mundo, absorver o conteúdo dos filmes e referenciá-lo imediatamente a sua realidade.

Diretor: Laís Bodanzky, Luiz Bolognesi

Duração: 56 min. Ano: 1999

Exibição: Dia 1º de julho, quarta-feira, às 23h

Horários alternativos: Dia 2 de julho, quinta-feira, às 3h e às 17h / Dia 3 de julho, sexta-feira, às 11h / Dia 4 de julho, sábado, às 19h

Classificação: 10 anos

QUINTA DO PENSAMENTO

“O Engenho de Zé Lins” (documentário)

O longa traça o perfil do escritor paraibano José Lins do Rego, enfocando desde os tempos de sua infância, no ambiente que imortalizaria romances como “Menino de Engenho”, ligados ao ciclo da cana-de-açúcar, até sua maturidade. Ao lado de outras manifestações de sua marcante figura humana, o documentário apresenta o homem solidário e afetivo, o amigo fiel, o amante apaixonado pelas coisas simples da vida e pelo povo.

Diretor: Vladimir Carvalho

Duração: 80 min. Ano: 2006

Exibição: Dia 2 de julho, quinta-feira, às 22h30m

Horários alternativos: Dia 3 de julho, sexta-feira, às 2h30m e às 16h30m / Dia 4 de julho, sábado, às 8h / Dia 5 de julho, domingo, às 20h

Classificação: Livre

Sobre o Curta!

Dedicado às artes, cultura e humanidades, o Curta! é um canal independente que acolhe a experimentação e se orgulha de ser um parceiro dos realizadores, artistas, criadores e produtores independentes. Com o compromisso de transmitir 12 horas por dia de programação nacional independente, os principais segmentos temáticos da programação são música, dança, teatro, artes visuais, meta-cinema, filosofia, literatura, história-política e sociedade.

O Curta! pode ser visto nos canais 56 da NET, 83 na GVT, 76 na Oi TV, 103 na Vivo TV e 69 na Claro TV. Siga as redes do canal nos endereços: www.facebook.com/CanalCurta, twitter.com/CanalCurta e www.youtube.com/user/canalcurta.


Saiba mais em http://www.canalcurta.tv.br.

na Redação CFNotícias

Tags: