Go to ...
CFNotícias on YouTubeRSS Feed

TV Brasil exibe programação especial em tributo a Bibi Ferreira


Para homenagear a atriz e cantora Bibi Ferreira, que faleceu no início da tarde desta quarta (13/2), aos 96 anos, no Rio de Janeiro, a TV Brasil apresenta uma série de produções especiais para destacar a vida e a obra da artista que foi consagrada em mais de 75 anos de carreira. Destaque para o último show da artista gravado em dezembro de 2017.

Às 18h30, o programa Conversa com Roseann Kennedy traz uma entrevista que a diva concedeu para a jornalista da TV Brasil em junho de 2017. Na ocasião, a saudosa Bibi Ferreira falou sobre os segredos de sua longevidade, lembrou sucessos e destacou amigos que se tornaram sua verdadeira família.

Já às 21h45, a emissora pública leva ao ar com exclusividade o show “Por Toda Minha Vida”, último espetáculo da diva. A apresentação de Bibi Ferreira naquela turnê foi registrada pela TV Brasil em dezembro de 2017, com exclusividade, no Teatro Oi Casagrande, no Rio de Janeiro.

Em seguida, às 22h45, o programa Recordar é TV utiliza material de arquivo preservado no acervo do canal para resgatar trechos da edição especial do programa “Eu sou o show”, exibido pela TV Educativa do Rio em 1988. Na época, o musical “Piaf” fazia enorme sucesso com Bibi interpretando a cantora francesa.

Trajetória: filha de Procópio Ferreira e a vida nos palcos

A formação em música, teatro, dança e línguas estrangeiras veio de berço. Filha da bailarina argentina Aída Izquierdo com o memorável ator brasileiro Procópio Ferreira, Bibi Ferreira foi criada nos palcos.

Ao longo de sua carreira, ela desenvolveu um reconhecido talento como atriz, cantora e diretora teatral. Bibi Ferreira tinha o poder de dominar uma plateia com seu magnetismo e fez do palco uma extensão do próprio corpo. Essa força não se pode atribuir apenas a um talento brilhante, mas também a uma preparação técnica vista em poucos atores brasileiros.

Saída de cena

Em setembro do ano passado, Bibi Ferreira se retirou voluntariamente de cena para preservar a saúde após três sucessivas internações. Em mensagem publicada nas redes sociais, a atriz e cantora carioca de 96 anos anunciou que encerrava a carreira.

Segundo o comunicado, a diva Bibi Ferreira não ia mais se apresentar nos palcos seja como atriz ou cantora. Também não concederia mais entrevistas, nem mesmo por e-mail, como vinha fazendo nos últimos tempos.

Entrevista para Roseann Kennedy

Considerada uma das maiores vozes do Brasil, Bibi Ferreira revelava uma disposição fora do comum quando subia aos palcos, fato que se confirmou na entrevista para a jornalista Roseann Kennedy que a TV Brasil reapresenta hoje, às 18h30.

Gravado em junho de 2017, no Hotel Meliá, em Brasília, o papo para o programa Conversa com Roseann Kennedy foi ao ar originalmente naquele mês e abordou segredos e curiosidades sobre a rotina da musa do teatro no país, artista que promoveu sintonia entre o palco e a plateia com versatilidade em seus espetáculos.

Cantando em quatro idiomas, inglês, francês, português e espanhol, ela interpretava com perfeição grandes sucessos de Amália Rodrigues, Carlos Gardel, Frank Sinatra e Edith Piaf. Em relação a escolha de seu repertório, Bibi disse que o público vem sempre em primeiro lugar e justifica. “Eu nunca penso no que eu quero, no que eu gosto… Eu tenho que pensar sempre em relação à plateia. A plateia é a que gosta, a que quer, a que deseja”.

Com uma energia de dar inveja a qualquer um, Bibi contou que tomava pequenos cuidados para preservar a vitalidade. “Manter a voz é uma questão de saúde, de respeito à saúde e de se comportar devidamente. Não falar muito alto, não tomar muito álcool, dormir o máximo que puder… Então é importante que você guarde tudo isso para quando você estiver no palco”.

Para manter a voz ela revelou outro pequeno segredo. Antes de entrar no palco e pegar o microfone, sempre tomava uma xícara de café quente com uma pitada de manteiga. Ela deu a receita levando à mão até a garganta. “Quando a manteiga derreter, você toma o café. A manteiga é para azeitar as cordas vocais”.

 Orgulhosa de sua carreira, Bibi atribuiu o resultado de seu sucesso à sua entrega ao trabalho. Para ela, nada seria possível sem amor. “O amor é tudo. Se não houver amor, não há nada”. Ao se dirigir à Roseann Kennedy, ela concluiu. “Você estar aqui é um ato de amor, é um ato de bondade, é um ato de querer ouvir um pouco as coisas da minha alma. Quer dizer, é um ato de amor que nós estamos cometendo aqui”.

Sem modéstia e num sorriso amigável, ela justificou seu espírito inquieto e explicou porque não se considerava uma estrela e sim um cometa. “O cometa tem uma calda, né? Ele aparece com hora marcada e aparece sempre na hora. A estrela é fixa. Eu não sou uma estrela fixa. Eu sou uma estrela que anda pelo céu”, disse ao fim da entrevista.

 Performance marcante no show “Por Toda Minha Vida”

Com exclusividade, a TV Brasil apresenta o último show de Bibi Ferreira nesta quarta (13/2), às 21h45, na faixa Verão Show. O espetáculo “Por Toda Minha Vida” foi gravado pela TV Brasil em dezembro de 2017, na turnê que a diva realizou no Teatro Oi Casagrande, no Rio de Janeiro.

Grande dama do teatro e da música brasileira, Bibi encanta ao interpretar obras que se tornaram clássicos e celebrar parcerias inesquecíveis de sua carreira. Na época, com 95 anos de idade e mais de 75 nos palcos, a experiente atriz, cantora e compositora esbanjou bom humor.

Além de cantar, a artista ainda conta histórias de sua trajetória e relembra episódios marcantes da carreira no papo que costura a apresentação junto com o maestro Flavio Mendes e o seu empresário Nilson Raman. Na edição do musical para a telinha da TV Brasil, a produção vai ao ar com uma hora de duração.

Bibi Ferreira surpreende com um repertório imponente. O espetáculo mescla sucessos nacionais como “Eu nasci há dez mil anos atrás”, “Palpite infeliz”, “Por toda a minha vida”, “Eu sei que vou te amar” e composições estrangeiras em vários idiomas como “La Donna è Mobile”, “Guten Abend, Gute Nacht”, “Hello, Dolly”, “I could have danced all night” e “Hymne A L’amour”.

 Material de acervo é resgatado no Recordar é TV

Ainda nesta quarta (13/2), às 22h45, o Recordar é TV celebra a vida e a obra de Bibi Ferreira. A partir do material de acervo preservado, a produção exibe trechos da edição especial do programa “Eu sou o show”, produzido pela TV Educativa do Rio de Janeiro na década de 1980.

Entrevistada pela jornalista Jalusa Barcellos, a atriz, cantora, compositora e diretora falou sobre a infância nos palcos, a experiência de fazer um filme em Londres e o famoso musical “Gota d’água”. Também abordou a sua breve passagem como apresentadora pela TV Excelsior com o programa “Brasil 60”.

Durante a sabatina realizada pela TVE/RJ em 1988, a diva dos palcos reflete sobre a época de ouro do teatro brasileiro, num período em que se fazia mais teatro profissional no Brasil do que na Inglaterra.

No decorrer do programa, Jalusa Barcellos pergunta a Bibi Ferreira sobre o seu trabalho mais difícil. A artista declara que foi a peça “O noviço” (1952), de Martins Pena. Naquela montagem, a atriz interpretou um padre.

Apesar da baixa estatura, Bibi se transformou numa gigante quando interpretou a cantora francesa “Piaf” no musical homônimo ou a personagem “Joana” no espetáculo “Gota d’água”, de Paulo Pontes e Chico Buarque.

A homenagem a Bibi Ferreira exibida pela TV Brasil no programa Recordar é TV conta ainda com depoimentos de arquivo de personalidades da cena artística brasileira como Walmor Chagas, Léa Garcia, Guilherme Karan e Rogéria.

Amigos e parceiros de cena, eles recordaram a importância de Bibi para a música e a dramaturgia nacional em gravação dos anos 1980 para a TVE/RJ. Os artistas comentaram a interação com Bibi nos palcos e coxias já que a diva dirigiu alguns deles em cena.

da Redação CFNotícias